Quem me vê sempre parado de lado garante que eu não gosto de futebol. E é verdade. Não mexo com essas coisas que exigem muito mais paixão, comprometimento e causa muito mais problemas do que deveria. Quero dizer que é um esporte, deveria ser divertido e não causar sofrimento e morte(eu gostaria de estar exagerando, mas gente morre por causa de futebol, sim), mas quem quiser apreciar, aprecie. Eu gosto do meu canto quieto e sem futebol, obrigado.

Mas, de modo geral, eu não odeio a Copa. Sim, eu odeio vuvuzelas, e só as ouvi de relance na televisão, mas a Copa em si, eu não desprezo. Não ligo muito, aliás. Mas temos em mente que o assunto tem alta relevância no momento, e algo deve ser dito. É o preço de se ter um blog de variedades, suponho. Então falemos de Copa!

De início, acho que é a esporadicidade do evento(quatro anos é um bocado) que me faz ter mais tolerância a ele do que, digamos, ao Carnaval. Coisas muito irritante e muito frequentes tendem a ser insuportáveis. Venhamos e convenhamos, eu posso aguentar um país que não fala de quase mais nada além de futebol e pára(isto quase não é uma hipérbole) quando sua seleção joga se isso se resumir a uma frequência igual à de anos bissextos. Sim, não curto futebol, não significa que eu tenha que ser uma mala e estragar a diversão dos outros.

Quanto ao desempenho da seleção... bem, este texto deveria ter saído antes do primeiro jogo, mas parece que já vemos que minha expectativa inicial foi contrariada esta seleção composta de uns tantos sei-la-quem, mais outros não-sei-das-quantas e Kaká(e Grafite) não está com toda essa força. Eu contava com a estratégia Luís Felipe Scolari de não convocar quem o povo quer e ganhar o campeonato mesmo assim, mas parece que um raio não cai duas vezes no mesmo lugar. Se essa seleção chegar nas finais, ficarei realmente surpreso.

E finalizando, o tópico é internet. Eu aprecio manifestações de opiniões e exercícios de liberdade em geral, mas "CALA BOCA GALVÃO" é, parafraseando Celina, a maior piada interna do mundo, e como toda piada interna parece idiota às vezes mesmo para aqueles que a entenderam. E ascendeu agora à categoria de ruído, visto que volta e meia alguém resolve mandar um calaboca só com o objetivo de manter a expressão no topo dos tópicos. E no fim das contas o Galvão não vai calar a boca. Já mandaram ele fazer coisa pior, que eu sei, não é isso que vai intimidar o desgraçado.

E acho que isso é tudo o que eu tenho competência para comentar desta copa. E daqui pra frente o assunto fica restrito a este texto, combinado?

Ao longo da semana teremos mais textos (espero!). Tenham um bom dia e toquem essas porcarias de vuvuzelas lá longe, faz favor!


Töpo Talpos é blogueiro, cronista, cafeinólatra e idealizando o "Clube de Caça às Vuvuzelas"