Vou fazer hoje uma coisa que eu não costumo fazer: comentar notícias de games. Eu não faço isso por duas razões, que são basicamente uma: elas normalmente não são interessantes. Essa que vou comentar hoje, é lugar-comum. Qualquer pessoa que acompanha notícias de games nos últimos, sei lá, 10 anos, já viu dezenas do tipo. Em geral são coisas ditas pra polemizar, não-notícias ou possibilidades. Não me interessam muito.

Nem sei porque, aliás, resolvi comentar essa aqui. Acho que pra variar. :P Bom, vamos lá: Jack Tretton é CEO da Sony(caso você esteja muito por fora, a companhia que produz o Playstation e o PSP/NGP) e esses dias resolveu tomar parte naquele velho esporte de perder a oportunidade de ficar calado. A fonte da notícia é, em ordem de backtracking, do WiiClube, Destructoid e CNN Money. Diz o Tretton o seguinte:

Eles estão começando a perder o fôlego em termos de continuarem relevantes em 2011 e além. Sabe, na boa, por que eu compraria um console que não tem um hard drive? Como ele seria capaz de expandir? Jogos por movimento são fofos, mas se eu posso mover meus braços apenas alguns centímetros como isso pode ser visto como jogabilidade por movimento realmente com precisão?

E também:

Nossa visão sobre a ‘experiência Game Boy’ é que ela é uma ótima ferramenta do tipo babá, algo com o que as crianças brincam durante viagens de avião. Mas nenhuma pessoa com mais de 20 anos que respeite a si mesmo sentará em um avião com um aparelho desses. Elas são muito velhas pra esse tipo de coisa.

Vamos ver por onde começo... vamos começar pelo óbvio: ele critica jogos baseados em movimento. Ha ha, essa é nova, seu Tretton. Muito boa. Que bom que a Sony nunca tentou dar um revamp no seu console criando uma interface de controle por movi–

Playstation Move: a vergonha alheia das interfaces de controle por movimento

–epa! Como é que chama isso mesmo? Ah, sim, Playstation Move. A interface de movimento que chegou tarde demais pra ser o Wiimote e limitada demais pra ser o Kinect. E é ridícula com essas bolhas brilhantes em cima. Você, como representante da Sony, não é ninguém pra falar mal de controle por movimento, Tretton.

"Experiência Game Boy"... como é que é? Como é que é mesmo o nome daquela coisa que é praticamente um Gameboy Advance, só que preto e comprido com um analógico? Ah, sim: PSP. Eu ainda não entendi como o Tretton acha que um GBA é diferente de um PSP, a não ser que ele ache que uma pessa normal vê um PSP, pensa que é um jogo de criança, mas daí vê o controle analógico e percebe que isso sim é um aparelho de adulto. Aham, lê o título do post, faz favor.

E essa coisa do disco rígido? Pra que um disco rígido? O Wii tá se virando sem um muito bem: os jogos não têm que ser instalados antes de jogar(aliás, broxante isso), jogos de WiiWare são instalados, eu suoponho, no cartão de memória... a não ser pra fazer atualizações, eu não vejo pra que um disco rígido e, de novo: cartão de memória.

Enfim, eu realmente não sei por que resolvi fazer isso. Esse tipo de notícia vem a torto e a direito(a um tempo atrás o pessoal da Rovio tava dizendo que os consoles iam morrer e Angry Birds é o novo Super Mario) e se o Wii e DS não morrerem(não vão; continuam vendendo horrores) vai ser simplesmente esquecida quando outra figuraça resolver decretar a morte de outro sistema ou feature da concorrência.

Povo previsível...


TP é blogueiro, gamer, splicer rank 8 e resolveu que não vai mais comentar em notícias de jogos. Bora voltar pras resenhas!