Um tour pelo Twitter

Aparentemente, depois que o Fantástico fez aquela matéria sobre redes sociais e Twitter – que, aliás, eu fui assistir agora só pra saber do que se trata –, a discussão de se o Twitter vai ser o novo orkut está ficando mais ativa. Nessas horas fica difícil não ter uma opinião sobre o assunto, e quando você tem um blog, o que há pra se fazer é ar uma expandida nisso, porque em 140 caracteres não dá pra explicar tudo. =P

Enfim, matéria sofrível à parte, o nosso querido Twitter vai se transformar em um tumor 2.0 assim, tipo o orkut? Sei lá. Vocês sabem que eu gosto de analisar as coisas por partes, então...

"Brazilian Problem"

O problema todo é um trauma da internet referente à comunidade brasileira. Somos conhecidos como gafanhotos na internet, por analogia óbvias às nuvens de insetos que comem tudo o que vem na frente e saem deixando apenas uma terra árida e morta. Exemplo vivo disso é o orkut. Deixa eu contar uma história rápida aqui.

Entrei no orkut em 2004, talvez ainda na época em que se precisava de convite pra entrar. Não lembro. Enfim, o orkut era um lugar legal, uma bela rede social, limpa e usável, sem essas frescuras de plugins de hoje. Nada contra plugins, mas eu dispensaria uma porção deles(estou olhando pra você, BuddyPoke! >=( ) Enfim, foi um pouco de tempo depois que os brasileiros se tornaram a nacionalidade mais numerosa no orkut, e, não por coincidência, a coisa foi só ladeira abaixo.

Saí do orkut no meio do ano passado quando não precisava mais dele como rede social. Atualmente a maior comunidade do orkut se chama "Eu Odeio Acordar Cedo", e discute tudo, menos acordar cedo. Brasileiros invadiram a primeira comunidade(da universidade Stanford) e começaram a vandalizar o lugar com posts em português, e reclamando quando os membros pediam para que falassem inglês. Mas acho que o que mais me impressiona até hoje é o que aconteceu com a troca de mensagens no orkut.

No início havia o scrapbook e as mensagens. Os scraps eram para comunicação informal e pública, só dar um oi, mandar um bilhete lembrando que o AF é nesse fim de semana... enfim, coisa básica. As mensagens podiam ser usadas para assuntos mais particulares ou mensagens mais longas. Era praticamente um serviço de email, no qual se podia enviar mensagens para vários destinatários e coisa e tal. Eu mesmo mandei algumas mensagens especiais em datas comemorativas e tal.

Até que, por alguma razão, a caixa de mensagens de todo mundo se tornou uma grande caixa de spam. A partir daí, o scrap se tornou a unidade básica de comunicação, até que a questão da visibilidade chegou à tona e as pessoas começaram a se comunicar por... testimonials. Isso, testemunhos pessoais sobre as pessoas que você conhece, usados como um mural de recados particular. Se você não está vendo nada errado com isso...

E, claro, nem começo a falar sobre os scripts e spam nos scraps. Eu acho que saí numa boa hora...

E o Twitter?

É, pois é... mas o que está havendo com o Twitter? Bom, deixa eu resumir ainda mais desta vez: alguém inventou um script que segue em massa. Estou falando de uns 5000 por vez, no mínimo. O princípio por trás disso é usar o tal script, seguir trolhadas de pessoas de uma vez só, ser seguido de volta pelo instinto "uma mão lava a outra" e parar de seguir os que não retribuem. Simples assim. Houve uma discussão sobre qual então é a relevância do número de seguidores, blá blá blá rankings, blá blá blá vira-latas, blá blá blá... não vou encher a vossa paciência com picuinhas virtuais. Vamos ao que interessa.

O Twitter pode virar o novo orkut? Resposta curta: pode. Resposta longa: pode, mas talvez não, por vários fatores.

A questão chave no que diz respeito à orkutificação do Twitter é que o Twitter é uma mídia de conteúdo seletivo. Eu posso escolher não ler o que outras pessoas escrevem, e posso também impedir que elas me forcem a ler o que elas escrevem(fazendo uma postagem direcionada a mim, por exemplo). Um fato que demonstra essa característica é que um usuário só pode mandar mensagens diretas(particulares) para usuários que o seguem, mas não para aqueles que ele segue, o que provavelmente estraga a vida de muitos spammers.

Então, colocando em pratos limpos: o Twitter como está, não será orkutificado. O que me dá medo, entretanto, é que também o orkut não era assim há quatro anos atrás. Céus, ele era outra coisa diferente há um ano atrás! Através da insistência e do "jeitinho" que lhe é peculiar, existe uma possibilidade de que o Twitter também mude e se torne propício a mais uma invasão do que chamamos de "subproduto da inclusão digital". Eu sempre me lembro com pesar do que aconteceu ao sistema de mensagens do orkut(era um ótimo sistema, fazia bem o que se esperava dele), e imagino se o Twitter também não se transformará sob a força da utilização indevida de seus recursos.

Veredito final, o de sempre: vamos esperar e ver no que vai dar. Na pior das hipóteses, eu cavo uma toca e espero os gafanhotos passarem. =P