Como já notado por alguns — e também pelo Akismet — nós do Bruno Guedes & Toupeiras usamos o serviço de e-mail gratuito do Yahoo!(sem exclamação, daqui por diante). Verdade seja dita, Bruno Guedes já usa o serviço há quase década, contabilizando dois e-mails; o antigo foi aposentado por questões de volume de spam e também de usabilidade — o e-mail era "garotoraposa"; não pergunte — para este novo e-mail que agora também está recebendo volume de spam considerável, sobretudo de herdeiros de fortunas africanas imaginários. Enfim, não uma, nem duas vezes já fomos compelidos a arranjar um GMail logo de uma vez, sem o problema de ter de recadastrar o email do Yahoo. Usa-se o redirecionamento e problema resolvido! Mas não é exatamente este o problema. Aliás, não existe nenhum empecilho de ordem técnica envolvido.

Por um lado, centralizamos todos os serviços web de uma vez no Google, incluindo usar o iGoogle ao invés do Meu Yahoo e etcéteras. O Google tem um anti-spam melhor(embora, sejamos francos, só nos últimos meses é que venho marcando os spams como "spam" de fato), um sistema de classificação interessante, integrado ao GTalk(que eu não uso, mas enfim), aceita anexos de tamanhos decentes e etcétera e etcétera... O problema não é de ordem técnica, como eu disse. A Google vai dominar o mundo, não é à-toa que dizem. Não, os problemas são mais de ordem pessoal. Vamos lá.

  • Arquivos: eu arquivo coisas. Guardo praticamente tudo, incluindo os clipes que acho na rua, sob forma de pulseira. Algum dia eu arranjo uma foto. Enfim, alguns dizem que é porque sou taurino, mas eu digo que é simplesmente porque sou metódico, uma das razões pela qual reaolvi fazer exatas. Enfim, a explicação que seja, eu não me livro das coisas, não porque goste de ficar lembrando dos fatos, mas simplesmente por questão de "precaução". E tem um bocado de coisa nas caixas de Yahoo, e por um bocado eu quero dizer... alguns vários Gigabytes de dados. Infelizmente, desde que se tornou "ilimitado", o Yahoo não me diz mais quanto tem na minha caixa de entrada. Mas enfim: eu ainda não faço idéia de como vou passar isso tudo pro GMail. Estou estudando, e enquanto isso, Yahoo.
  • Comodidade: temos um ser humano aqui, gente. Seres humanos são conformistas e avessos a mudanças por natureza. De certa forma é simplesmente idiota, mas ainda assim um motivo. A preguiça de mudar move — ou, melhor dizendo, mantém parada — a humanidade e, embora eu esteja mais para o lado talpídeo da existência, não seria diferente comigo. Só preciso de tempo...
  • Paranóia: sim, eu tenho uma certa desconfiança, aqui. Quer dizer, veja a Google. Uma máquina de busca usada por 99% dos usuários, estimativamente falando; um serviço de e-mail elogiado e usado em escala igualmente larga; e também dona do orkut, uma das — senão a — redes sociais mais populares, não que isso seja, necessariamente, uma coisa boa... Mas enfim, eles estão em tudo quanto é lugar, com tudo quanto é serviço. Qual é a barreira entre um serviço onipresente e benevolente e uma empresa monopolista maléfica? O que impede a Google de usar todos os dados que trafegam por seus servidores a seu favor em detrimentos dos usuários? Nada além da pura confiança, e venhamos e convenhamos, a situação aqui está meio nebulosa. Além disso, o que acontece se, de repente, houver uma falha no sistema? A centralização se vira contra mim, é o que acontece. Me chame de paranóico, mas eu fico com um pé atrás...

E o final dessa novela? Bom, até agosto eu arranjo meu GMail, provavelmente. Não há porque não fazê-lo, até porque o novo Yahoo! Mail está meio precário. Mas aí eu me pergunto quanto tempo até o Akismet me delatar como spam de novo...