Então você, internauta pessoa que usa a Internet, encontra um blog e gosta dele. Adora-o. Começa a ler os arquivos e se apaixona pelo autor e sua proporiedade de expressão. É tudo tão ótimo! Quando você termina de chafurdar pelos arquivos, você obviamente chega ao último post. E você então está se perguntando: "caraca, quando será que ele vai escrever de novo?"

É, este é o problema. Autores de blog são, por natureza, seres humanos. Não importa se ele prometeu em nome da mãe morta que atualizaria todos os dias, não há garantia real, e com a distância enorme entre usuários e todas as consequências da nossa "querida" neutralidade da rede, o autor pode e, muito provavelmente irá, não ter um post pronto a cada 24 horas. E agora? Ficar plantado na frente do PC apertando F5? Perder o sono? Colocar o blog na sua página inicial?

Não. Assinar o feed.

"Mas o que é um feed, caramba?!", você, internauta inculto e interessado me pergunta. É simples: imagine que existe um programa que tem uma lista de sites que você lê. Esse programa, a cada... 15 minutos, por exemplo, acessa o site que você quer saber se atualizou e, se encontrar alguma cosia nova, atualiza uma lista que contém os tópicos daquele site, inserindo lá o mais novo. Então, sem precisar acessar os n sites que você quer acompanhar(e, no caso de pessoas muito antenadas ou viciadas em internet, mesmo, esse número n pode ser um valor astronômico), você fica sabendo se há algo novo, e o que é.

Pois bem, esse programa é um leitor de feeds. O feed é um documento em XML que os sites mandam para os leitores de feeds. O feed contém os dados do que foi publicado no site. Simples assim.

Pra que serve isso, você nem vai perguntar, afinal é óbvio. É para você, pessoa ocupada, atarefada e que tem mais o que fazer não ter que visitar seus blogs favoritos toda vez que entrar no seu browser. Você só vai lá se o leitor de feeds acusar um novo tópico. Ou, se o leitor for dos bons, nem isso: o próprio programa já lê pra você.

"Ah, legal... e como eu 'assino' esse tal feed?", você, leitor ainda inexperiente pergunta. Simples: procure no seu site favorito um link para feed, ou um ícone. Se você clicar nele, vai abrir um XML(isso se seu navegador não for, digamos, o Opera, e não tiver suporte a feeds). Então o que você deve fazer é pegar esse link e inserir no seu leitor favorito. Simples.

"Mas eu uso o leitor X, como eu faço isso?"... bom, tem muitos leitores de feed. Eu não vou explicar como fazer isso pra cada um deles, até porque normalmente é uma coisa muito básica. O que vou fazer agora é explicar os feeds do meu site.

Porque, como todo webmaster consciente, eu não apenas disponibilizo o feed, eu te ajudo a economizar tempo adicionando o dito cujo. Até o momento, o site oferece links automáticos para feed nos leitores: Meu Yahoo! e [[link:http://www.google.com/ig]]. Planejamos, em um futuro próximo, oferecer também para outros leitores, como Bloglines, Google Reader e outros que o público sugerir.

Além disso, você conta com mais uma facilidade! Os feeds podem vir separados por autor! Isso mesmo, se você só visita este site pelos (futuros) posts de tecnologia e games do nosso querido Topo, você não precisa mais ficar aborrecido quando, ao checar o seu leitor de feeds, encontrar apenas um post enfadonho deste que vos fala. Seu leitor de feeds só vai receber posts do autor do qual você selecionar o feed.

E ainda, em projetos futuros: feed multi-autor; por tag; e um visual melhor que essa tabela sem sal.

Até segunda, se der tempo, as toupeiras começam a postar. E aí isso tudo vai começar a fazer sentido... ou não.