Como disse em um texto anterior, a necessidade de abreviação devido ao alto preço de alguns bytes se degenerou em um total desrespeito às normas gerais da escrita culta da língua portuguesa. Isso não seria de todo ruim se se resumisse à forma, mas infelizmente a degeneração finalmente atingiu o conteúdo, gerando textos que se tornam praticamente ininteigíveis para alguém que não faça idéia do contexto no qual o texto se insere – ou, por vezes, até para quem conhece esse contexto.

Acredite ou não, entretanto, existem pessoas que adotam essa total ininteligibilidade gratuita como forma oficial de comunicação. Não se resumem apenas a transforma o que é legível em ilegível, mas a enfeitar aquilo que por si só já era ininteligível.

Por alguma piada causal do Universo, tal forma de comunicação ficou fortemente associada à subcultura denominada "Emo", que vai além da música "Emo" por si só. Por sua vez, por causa de um determinado verbete desse dialeto caótico, eles são chamados "miguxos". E, portanto, seu dialeto é chamado, muitas vezes, de "miguxês".

O que é

Trata-se do estilo adotado por parte da juventude da época atual que se caracteriza por intensa desconstrução da escrita da língua. O estilo é similar ao l33t que se manifesta na língua inglesa.

Onde se vê

Grande número de blogs e fotologs de conteúdo pessoal. Extremamente pessoal. Sobretudo aqueles criados por jovens em um impulso de... bom, não se sabe ao certo porque um "miguxo" cria um blog, mas é certo que acontece.

Provável Origem

Difícil até mesmo especular, visto que as características do estilo parecem ter se agregado de muitos e muitos locais diferentes. Até onde se pode rastrear, é filho bastardo do "internetês" original.

Características Principais

  • - Conforme dito, quantidades massivas de desconstrução sob a forma de:
    • Transformação de fonemas acentuados em fonemas não acentuados que, entretanto, não são abreviações;
    • Formatação caótica do texto, sobretudo AlTeRnÂnCiA de CAPITALIzação.
    • Uso por vezes desnecessariamente exagerado de algumas formas de pontuação, sobretudo múltiplos pontos de exclamação.
    • Transliteração de certas consoantes em outras, sobretudo a transformação do S em X.
    • E, finalmente, total desapego à norma culta, incluindo a talvez proposital não utilização de maiúsculas ou pontuação.
  • - Utilização extensiva de "emoticons" – construções simbólicas que representam expressões faciais ou emoções –, além da replicação e criação descontrolada dos mesmos.
  • - Artifícios para chamar a atenção do interlocutor – cores brilhantes, objetos que piscam, animações, entre outras – usados à exaustão.
Porque dá certo?

Difícil atribuir o sucesso de tal estilo a apenas um fator. O mais óbvio seria a moda, visto que também parece estar na moda pertencer aos grupos que se utilizam mais frequentemente desse tipo de linguagem. Além disso, uma visível dificuldade de escrever segundo a norma aceitável – nem precisa ser a culta, formalmente falando – parece levar as pessoas a simplesmente ignorá-la, senão confrontá-la diretamente.


Nada mais a declarar. Algum dia – não ouso dizer "semana que vem" –, mais análises de estilos de escrita curiosos da grande rede...