Você provavelmente conhece M. Night Shyamalan. Escritor de filmes, ganhador de dois prêmios da Academia, e conhecido por colocar reviravoltas surpreendentes em seus filmes de suspense sobrenatural. Isso, aquele Shyamalan.

Depois de "Fim dos Tempos" (nossa versão brasileira de The Happening), eu resolvi dar uma analisada na carreira do Shyamalan. Em suma, o resultado não foi muito feliz.

...A propósito, eu vou ter de dar muito spoiler aí pra frente, então se você ainda não conhecia o final desses filmes... me agradeça, estou te salvando de assistir essas abominações!

Era pré-O Sexto Sentido

Nem eu nem você assistimos nenhum desses dois filmes, provavelmente, logo eu vou só dar uma passada rápida pra mostrar que, por incrível que o pareça, ele nem sempre foi assim.

Praying with Anger (não, eu nem faço idéia de como o filme se chama em português) é a história de um joven Hindu para explorar sua herança cultural. Aparentemente é um drama, mas, volto a frisar, eu não assisti a esse filme. Eu nem sabia que ele existia, aliás...

Por outro lado, Wide Awake("Olhos Abertos" – uau, traduziram por alguma coisa que faça sentido?!) conta a história de um jovem garoto de 10 anos que decide encontrar Deus após a morte de seu avô, em busca de respostas. Não tenho certeza, mas acho que este filme já tem uma reviravolta final, mas eu não sei qual é. Novamente, eu não assisti a esse filme.

Mas o mais importante, Wide Awake é uma comédia. Okay, a wikipedia me diz que é uma "comédia-drama", mas você consegue imaginar o Shyamlan fazendo uma comédia? Se sim, você conhece o Shyamalan que eu conheço?

O Sexto Sentido

E assim, tudo começou...

Não se enganem, eu adorei O Sexto Sentido. O filme é realmente bom, especialmente se você não está assistindo à versão dublada que passa na SBT. Sério, não sei se existia outro ator mirim melhor que o Haley Joel Osment para o papel do garoto perturbado que enxerga pessoas mortas, e Bruce Willis também não fica muito atrás. E aí a história vai andando, o filme vai chegando a uama conclusão, parece que tudo vai dar certo e...

BAM! Na verdade o Bruce Willis está morto! Céus, ele era um fantasma desde o começo! Mas como assim?! Aí você retorna o filme ao começo e tudo faz sentido! Como eu não havia percebido?! WTF?!

Tenho de admitir, Shyamalan teve "as manha" com Sexto Sentido. Poucas pessoas estavam esperando isso, e a coisa toda se encaixa tão maravilhosamente bem que não tinha como não ser um sucesso.

Um sucesso que, eu creio, subiu demais à cabeça do diretor, porque então veio...

Corpo Fechado

M. Night Shyamalan e Bruce Willis, mais uma vez, juntos. Eu sei o que você está pensando, isso tem tudo pra dar certo.

Corpo Fechado também foi um filme bem decente. Bruce Willis é um sujeito que, por alguma razão inexplicável, se safa de qualquer coisa sem nenhum arranhão. Daí o outro personagem principal, interpretado por ninguém menos do que Samuel L. "Motherfuckin snakes on a motherfuckin plane" Jackson, chega à conclusão de que ele é um super-herói do mundo real. Okay, do mundo real deles. Enfim, a história é uma espécie de desconstrução do mito do super-heróismo, e uma questão fundamental se revela: todo super-herói tem um arqui-inimigo. Então...

BAM! Samuel L. Jackson é o vilão da história! Sim, o sujeito que mal conseguia sair de casa sem sofrer uma fratura exposta é o exato oposto do herói, e justamente o causador das tragédias que revelam a natureza praticamente imortal do herói Bruce Willis! E não é só isso, como todo super-herói, ele tem uma fraqueza e é... água.

Sim, você acabou de ler "água". Verdade seja dita, isto já foi revelado no meio do filme, mas a concepção de um herói que afunda feito uma pedra por razão nenhuma ainda é um pouco chocante. Eu não tenho muita certeza, mas creio que este é o início do declive abrupto da carreira de Shyamalan como escritor, porque nosso próximo filme é...

Sinais

Você já ouviu falar dele. Você leu sobre seu final incrivelmente estúpido. Você até mesmo viu ele na Globo, dublado e cortado. Agora, você está vendo onde ele se encaixa na linha de tempo desastrosa da carreira de M. Night Shyamalan.

Sinais é estrelado por Mel "Paixão de Cristo" Gibson, que interpreta um pastor que vive em uma fazenda com seus dois filhos e um irmão. Tudo começa quando os malditos sinais começam a aparecer em plantações no mundo inteiro, e, como não poderia deixar de ser, a história é sobre uma invasão alieníngena.

Depois de uma boa hora de enredo obscuro, revelações feitas pelo personagem interpretado pelo próprio diretor, e o suspense de ver uma família encurralada em seu próprio porão por um alien tão perigoso quanto horrendo, toda esperança parece perdida, mas então...

BAM! Acontece que os aliens são vulneráveis à água. Sim, uma simples gota de água queima como ácido sulfúrico na pele dos malditos invasores, e assim o dia é salvo, graças à filha semi-autista, que deixa copos de água pela casa toda.

E assim que a emoção do momento acaba, você começa a pensar "PQP, isso não faz o menor sentido!"

Não, espere, pense aqui comigo: aliens vulneráveis a água invadem um planeta cuja superfície é composta 70% de água. Eles tem naves espaciais, e todo mundo sabe que você não fabrica naves espaciais sem antes desenvolver todo um conhecimento de química, física, astronomia, engenharia e o diabo a quatro, ou seja: os caras tem de ser inteligentes como a moléstia. Aí você imagina como seres ultra-inteligentes, com conhecimento o bastante para saber o que desgraças é água e como os afeta, vêm para numa porcaria de planeta nos confins da maldita Via Láctea, um lugar que não só é formado em maior parte por água líquida, e cuja vida é formada de mais um monte de água, mas tem vapor de água na maldita atmosfera.

E se você agora acha que não tem como Shyamalan se superar, pense de novo: depois de Sinais, ele dirigiu...

A Vila

Memorável para mim por ter uma entonação inapropriadamente alegre em seu título dublado(sério, o sujeito está praticamente sorrindo, como se estivesse anunciando um filme da Sessão da Tarde), também é conhecido como mais um filme de mistério do Shyamalan que falha miseravelmente em fazer algum sentido.

A história começa em uma vila (oh!) do século XIX, situada no meio de uma floresta. Segundo a mitologia local, criaturas com garras enormes e capuzes vermelhos te matam se você sair da vila, e por isso eles desenvolvem uma série de costumes bizarros, como não usar a cor vermelha e deixar pobres coitados verstidos com capas amarelas em postos de observação na borda da floresta. Tudo vai bem, até que uma doença incurável começa a atacar vários habitantes, então os anciãos do lugar dão a uma mulher cega a missão de buscar a cura além da floresta. Então...

BLAM! O ancião-mor revela que, na realidade, as criaturas são pessoas vestidas com fantasias que parecem ter sido feitas de carcaças de animais e outras coisas aleatórias, feitas para proteger o povo, e não deixá-los sair para o perigoso mundo exterior. Espere, tem mais! Enquanto a garota cega atravessa a floresta com sabe-se lá que sorte e sexto sentido(não, não foi intencional), um louco demente faz uma fantasia de "monstro" para si e tenta matá-la. Falha miseravelmente, ela consegue sair e então...

BLAM! Acontece que a história não se passa no século XIX, na realidade a Vila é situada dentro de um parque florestal, completamente isolada do resto do mundo, e os anciãos fizeram isso para fugir do "maldito mundo moderno", na manobra anacronística mais estúpida de toda a história!

...Não, pra mim também não fez sentido. Aliás, convenhamos: a menina é cega. Cega. Como desgraças uma mulher cega pula aquele maldito muro?! E eu nem vou apontar mais inconsistências, porque a internet inteira já fez isso e já está ficando longo demais esse texto. Vou fechar com...

Fim dos Tempos

...ou "The Happening". Não vi o filme, mas, assim como todo filme do Shyamalan, o que importa mesmo é o final, então vamos ao compacto. A-ham...

Uma misteriosa praga ameaça o mundo todo, todos morrem, exceto os personagens principais e aí...

BLAM! Eram as plantas! As plantas desenvolveram um mecanismo de defesa liberando toxinas pelo ar e... e...

Okay, eu tive de conferir na Wikipedia... é isso mesmo: plantas, toxinas, ar, pessoas morrendo. Plantas! Eu não tenho certeza, mas parece que nem o Shyamalan estava levando a história a sério, então...

Plantas?! Eu não consigo continuar esse raciocínio... Só espero que realmente tenha sido uma boa idéia deixar esse cara por conta de The Last Airbender... algo me diz que não.