Twitter é um assunto muito em voga hoje em dia, o que, na minha opinião, só demonstra que ele é um sucesso. Daí continuamos falando dele, e ele continua sendo um sucesso, e Tostines continua fresquinho porque é mais gostoso. Enfim, pelo menos uma semana eu leio alguma coisas sobre Twitter em vários blogs, muitas vezes alguma espécie de manual do que fazer e do que não fazer com o passarinho azul. E volta e meia meu coração dói quando eu vejo pessoas criticando aqueles que seguem a filosofia Twitter ao pé da letra.

Blue Bird in a Cage Se bem que, agora, é "What are you talking about?", mas dá na mesma. Querem matar a espontaniedade do Twitter, ou é o que parece. Acho que li uma vez que dar muitos updates é praticamente uma heresia. Pois eu acho que isso é mais uma grande besteira. Não é bem que eu defenda que o modo errático e constante de várias pessoas twitarem seja "O Correto". É que eu acho errado regulamentar o uso do Twitter desta maneira.

Não me lembro bem as palavras, mas um dia o Cardoso twitou algo assim:

E é mais ou menos por aí: tem gente levando o Twitter a sério demais, parece. Okay, talvez eu até tenha levado o twitter a sério demais, mas há quem defenda que o Twitter deve ser usado apenas para fins sociais, trocar links, etc... conversas aleatórias consigo mesmo, não. É besteira, não serve pra nada, blablablá taxa sinal/ruído blablablá...

Pois então, eu defendo o Twitter-moleque, a twitagem sem compromisso, sem a intenção de salvar o mundo do Sarney, sem estar atrelada a campanhas, sem a obrigação de ser retwitado a cada twit. Se for, tanto melhor. Se não, pra que se preocupar? De vez em quando é legal falar sozinho, eu sei, e ninguém deveria ser repreendido por isso.

Enfim, Twitter deve ser agradável, não uma obrigação com regras e coisa e tal. Se não está sendo legal pra você, há algo errado.

Aqui é TP, Toupeira Profissional, me despedindo e indo agora mesmo postar o link pra esse texto no Twitter! XD


A ilustração veio deste blog aqui, de jóias, achado no Google Image Search.