Ratificando um velho ditado do nosso blog, não se leva o Token a sério. Estamos aqui, mas estamos com alguns problemas de gerenciamento. Eu tenho cada vez menos tempo pra escrever, TP está tentando continuar o curso de programação custe o que custar, Töpo está dando a pausa obrigatória entre um post e outro e o Korso... está exercitando seu direito ao ócio criativo. Nada pior que um artista que não conhece o conceito de prazos. Se bem que ninguém aqui tem muito senso de dever, então dá na mesma...

Mas vamos lá, alguma coisa eu andei fazendo. Juro. Por exemplo, semana retrasada eu resolvi que um ano era tempo o bastante pra adiar a criação de uma interface pra organizar minhas tags. Daí fiz tudo direitinho, eu podia renomear, remover e até mesclar as tags umas com as outras, e os artigos eram atualizados de acordo. Lindo.

Aí deu errado. De repente, todos – repito: todos — os textos estavam com uma tag "férias", que, pior, direcionava para uma URL acentuada. Desastre total, e resolver seria complicado: teria que remover a tag desastrosa e re-adicionar algumas que foram perdidas – inclusive a tag mesclada número 1 do senhor Töpo Talpos, "humanidade", que por alguma razão simplesmente sumiu! –, o que demandaria re-leitura e classificação de 209 posts. Ao invés disso, resolvi apelar para a soução alexandrina e cortar o nó górdio.

E pra você, leitor inculto em história grega antiga, isso significa que eu resolvi simplesmente destruir o problema.

Yep, sem mais tags. A começar, meu quadro de tags era caótico e inventado na hora, com várias redundantes e sem muito significado. Reorganizar tudo exigiria outro trabalho hercúleo e, como blog não é bem minha ocupação primária, resolvi simplificar e viver feliz, até eu resolver se quero tags de novo ou não. Pensando bem, temos uma caixa de procura no site logo ali em cima, acho bem mais prática do que tags pra procurar assuntos específicos.

Se o tempo der trégua, reimplemento as tags. Enquanto isso, os posts ficam jogados à própria sorte. E espero que isso não diminua nosso tráfico e subsequente trocados advindos da navegação.

E, quando o Token sair do castigo, ele vai escrever o texto que ele devia ter publicado ontem. Até mais ver, pessoas!


Bruno Guedes é universitário, blogueiro e ultimamente dá muito mais preferência a soluções que torrem menos sua paciência.