Acho que já faz... três semanas desde a enchente no Vale to Itajaí. Se você andou vivendo sob uma pedra, aqui, só pra contextualizar. Se estiver com preguiça demais pra seguir link, choveu horrores em Santa Catarina, desabou barranco até dizer chega e, claro, gente morreu. Muita gente. Se você não esteve esse tempo todo sob uma pedra de ignorância, deve estar se perguntando por que eu demorei tanto a me pronunciar. Faz sentido...

Verdade seja dita, eu fico fulo com o excesso de atenção que tragédias pessoais recebem, culminando com a deusificação do "protagonista" (sim, Eloá, eu estou olhando diretamente pra você!), isso sem contar com os estardalhaços levantados por grupos de apoio a direitos humanos e animais(é com você, PeTA) por motivos que eu considero absolutamente inócuos. Daí aparece uma tragédia real e Töpo Talpos não se manifesta, e a razão é simples: eu espero.

Inicialmente, eu penso no assunto. Tento não tirar conclusões precipitadas e atirar minhas conclusões (erradas) no meu público. Isso é importante. Depois eu analiso a reação do restante das pessoas. Normalmente isso me leva a explorar caminhos de raciocínio diferentes comos por exemplo, não condenar o suspeito preferido da maioria. Lembremos que nesse caso trata-se de um desastre natural, não há culpados propriamente ditos. Não importa. Deixe-me dar meu parecer.

Trata-se, como eu disse, de uma tragédia "de verdade". Mais de 120 pessoas morreram, e mais um mundo de gente perdeu, basicamente, tudo. A reconstrução já está começando, e não vai ser fácil. E eu já vou disponibilizar as informações de como ajudar, logo após essas pequenas considerações de um parágrafo cada.

O problema com desastres e crises em geral é que esse tipo de situação horrenda sempre traz o pior da natureza humana à tona. Cardoso já nos noticiou o lado negro dos saques a armazens e supermercados, dos quais foram roubados, além de comida, água e etcéteras, cera pra piso, cerveja e aparelhos eletrodomésticos. Não é justificável, estou me lixando pro desespero, roubar TV de tela plana é crime!

E tem a questão da fauna urbana local. Animais domésticos foram abandonados e estão sujeitos à própria sorte, e você também pode ajudar! Só mais um parágrafo, por favor.

E agora, a última bomba: doações estão sendo roubadas. Não, sério! Soldados e voluntários estão catando roupas na cara-de-pau. Eu, sinceramente, não entendo como a humanidade consegue ser tão escrota depois de Jesus Cristo, ou pelo menos depois do Novo Testamento. Existe maldade a níveis aceitáveis, mas roubar doações de gente que quase morreu numa enchente e perdeu casa e tudo o mais é simplesmente... tosco. Mas basta.

No meio de escrotos e toscos, tem gente boa. Eu tenho fé na bondade humana, mesmo que ela só se manifeste em 10% da população, quando muito. Houve quem saqueasse, houve quem roubasse, mas há tmabém quem esteja esperando ajuda, porque não quer, nem vai saquear ou roubar ou, basicamente, descer de nível tanto assim. Por isso eu acredito que ajudar é preciso. Porque tem gente que realmente precisa, e condenar quem não fez nada de errado por causa de um bando de sujeitos gerados por cadelas não é o que eu considero justiça.

Mas, claro, não vou te obrigar a nada. Se não quiser doar, não doe. Você tecnicamente não vai ganhar nada com isso, exceto talvez uma consciência limpa, mas daí depende do seu sistema de crenças. Doe se achar que deve. E espero, aliás, que ainda esteja em tempo...

E agora, as informações para doações:

Caixa Econômica Federal - Agência 1277, operação 006, conta 80.000-8

Banco do Brasil – Agência 3582-3, Conta Corrente 80.000-7

Besc – Agência 068-0, Conta Corrente 80.000-0.

BRADESCO S/A - 237 Agência 0348-4, Conta Corrente 160.000-1

Nome da pessoa jurídica é Fundo Estadual da Defesa Civil, CNPJ - 04.426.883/0001-57.

Caso prefira doar para os animais, nada contra. Cá estão informações:

Contato: Bianca - Ong Viva Bicho - (47) 8425-1459 / 9903-5441
Banco do Brasil
Ag. 1489-3 cc 20793-4
Associação Viva Bicho
CNPJ 06 156 776 / 0001 - 81

APRABLU
Contato para doações:
e-mail: aprablu@terra. com.br (Bárbara)
Caixa Econômica Federal (ou lotéricas)
Ag.411
Op. 013
C/C 187-5
Simone Ruth Stoltz

Florianópolis
e-mail: ordepdarc@gmail.com (Pedro)

E faça o que te der na telha. Tenha um bom fim de ano.