Estou aqui de novo, a quase um mês da próxima eleição, para lembrá-los da máxima de suma importância nesse solene momento.

Vota direito, caramba!

Antes de mais nada, eu não vejo o mínimo sentido em no direito de voto obrigatório. Votar é um ato importante demais para ser feito por coerção, de má-vontade. De fato, votar é talvez a pior coisa que você pode fazer de má-vontade, porque vai dar merda. E vai ser uma merda grande e longa.

Mas, a despeito do que dizem os escritos espalhados pelos viadutos e muros de Belo Horizonte, você deve pensar, sim, e depois disso votar. O problema de acreditar que "pense, não vote" é algum tipo de protesto é que, pelo menos até onde a justiça brasileira entende, não existe nenhum motivo para se cancelar uma eleição que passe por um baixo contingente de votos. E, ademais, se deixarmos aqueles que não pensam votar, a situação vai piorar, ao contrário do que diz o Tiririca(céus, como eu queria estar brincando!)

Então você, leitor deste blog(aqui no singular, porque suspeito que temos, de fato, apenas um leitor depois dessa ausência mais do que prolongada), ouça este conselho que eu lhe dou de graça: faça o favor de votar direito. Se inteire da situação e trate de tentar entender como funciona esse caos que é o nosso governo e suas intrigas internas, porque aquele não entende de política será governado por aqueles que entendem. E, venhamos e convenhamos, isto é sempre mau sinal.


Töpo Talpos é cronista, blogueiro por proxy e anda assistindo a propaganda eleitoral... e seu humor não melhorou nem um pouco com isso.